Dez hábitos de estudos altamente eficazes

IMG_1937Não é segredo para ninguém que estudar pode ser algo muito difícil para diversas pessoas. E muitas vezes, outras distrações da vida acabam atrapalhando o desempenho de quem precisa focar nos estudos.

Pensando nisso, selecionamos esse texto do Dr. John Grohol, sobre hábitos de estudos que são altamente eficazes. Baseados na ideia de que o importante não é estudar mais, mas estudar de forma mais inteligente.

Confira as dicas:

  1. Como você pensa nos estudos faz toda a diferença.

“Ter a mentalidade correta é importante para estudar de forma mais inteligente.”

Muitas pessoas veem os estudos como uma tarefa necessária, não um divertimento ou oportunidade de aprender. Isso não é um problema, mas pesquisadores descobriram que como você pensa em algo é quase tão importante quanto o que você faz a respeito. Ter a mentalidade correta é importante para estudar de forma mais inteligente.

Às vezes, você não consegue se forçar a ter a mentalidade correta e é nessas horas que você deveria simplesmente evitar estudar. Se você está distraído por conta de um problema num relacionamento, um evento iminente, ou um projeto importante, estudar será frustrante e nada mais. Volte aos estudos quando você não estiver focado (ou obcecado!) com alguma outra coisa acontecendo em sua vida.

Jeitos de melhorar sua mentalidade:

Vise pensar positivo enquanto estuda e lembre-se de suas habilidades e proficiências.

Evite pensamentos dramáticos. Ao invés de pensar, “sou um desastre, nunca terei tempo suficiente para estudar para esta prova,” veja da seguinte forma, “posso estar um pouco atrasado nos estudos, mas já que estou estudando agora, vou estudar o máximo que conseguir.”.

Evite pensamentos radicais. Ao invés de pensar, “sempre estrago tudo,” o mais certo seria pensar, “não me saí muito bem naquela vez, como posso melhorar?”.

Evite se comparar a outros, porque você geralmente só acaba se sentindo mal sobre você mesmo. Suas habilidades e proficiências são unicamente suas, e somente suas.

  1. Onde você estuda é importante.

“Encontrar um local de estudos ideal é importante, pois será o local com o qual você poderá contar por um bom tempo.”

Muitas pessoas cometem o erro de estudar em local não propício à concentração. Um local com muitas distrações se torna um péssimo ambiente de estudo. Se você tentar estudar em seu quarto, por exemplo, você pode achar o computador, a TV ou qualquer coisa mais interessante do que a leitura que você está tentando absorver.

IMG_1769

Uma das salas de estudo na sede do Rico, em Floripa

Uma biblioteca, um canto na sala de estudos, ou um café silencioso são ótimos lugares para aproveitar. Certifique-se de encontrar uma área silenciosa nesses lugares, não os espaços barulhentos ou pontos de encontro. Procure diversos lugares no curso ou fora, não escolha o primeiro local “bom o suficiente” que você encontrar. Encontrar um local de estudos ideal é importante, pois será o local com o qual você poderá contar por um bom tempo.

  1. Traga tudo de que você precisa e nada de que você não precisa.

“Deixe seu celular em sua bolsa ou mochila para manter as distrações à maior distância possível.”

Infelizmente, quando você encontra um lugar ideal para estudar, às vezes você traz coisas de que não precisa. Por exemplo, apesar de parecer ser ideal digitar suas anotações em seu notebook para ler mais tarde, computadores são uma distração poderosa para muitas pessoas devido a sua versatilidade. Jogar jogos, checar as redes sociais, enviar mensagens e assistir a vídeos são todas distrações maravilhosas que nada tem a ver com estudar. Então pergunte a si mesmo se você realmente precisa de seu computador para fazer anotações ou se você consegue se virar com o bom e velho papel e caneta. Deixe seu celular em sua bolsa ou mochila para manter as distrações à maior distância possível.

Não esqueça as coisas de que você precisa para estudar para aquela aula ou prova. Nada desperdiça mais tempo do que ter de ir e voltar porque você esqueceu uma apostila importante, um livro ou outro material que você necessita para poder estudar. Se você se concentra melhor com sua música preferida tocando, tente limitar sua interação com seu celular apenas a trocar as faixas. Seu celular é um buraco negro em potencial e um dos piores inimigos de sua concentração.

  1. Faça um outline e reescreva suas anotações.

“Relacionar conceitos similares uns aos outros torna mais fácil recordá-los na hora da prova.”

A maioria das pessoas acredita que usar um formato padrão de outline ajuda a resumir as informações em seus componentes mais básicos. Elas acreditam que relacionar conceitos similares uns aos outros torna mais fácil recordá-los na hora da prova. O importante a se lembrar na hora de escrever um outline é que ele só funciona como uma ferramenta de aprendizagem quando você usa suas próprias palavras e estrutura. Cada pessoa é singular na forma como conecta as informações (conceito chamado de “chunking” na psicologia cognitiva). Então apesar de você poder copiar as anotações e outlines de uma outra pessoa, certifique-se de traduzir essas anotações e outlines para suas próprias palavras e conceitos. Não fazer isso é o que faz com que a maioria dos estudantes não consigam lembrar de itens importantes.

Também pode ser útil usar tantos sentidos quanto conseguir enquanto estuda, porque as informações são retidas mais facilmente quando outros sentidos estão envolvidos. É por isso que escrever anotações funciona, para começo de conversa – transforma informações em palavras e termos que você entende. Sussurrar as palavras enquanto você copia as anotações antes de uma prova importante pode ser um método para envolver ainda outro sentido.

  1. Utilize artifícios de memorização (mnemônicos)

“A chave para estes artifícios de memorização funcionarem é a frase ser mais fácil de lembrar do que os termos ou informações que você está tentando aprender.”

Jogos de memorização, ou mnemônicos, são métodos para lembrar informações usando uma associação simples de palavras comuns. Na maioria das vezes, as pessoas juntam palavras para formar uma frase sem sentido, que seja fácil de lembrar. A primeira letra de cada palavra pode ser usada para representar alguma coisa – a informação que você está tentando memorizar. Um dos mnemônicos mais comuns, por exemplo, é “Minha Vó Tem Muitas Joias Só Usa No Pescoço.” Cada letra – MVTMJSUNP – representa um planeta do sistema solar, em ordem de proximidade ao Sol.

A chave para estes artifícios de memorização funcionarem é a frase ser mais fácil de lembrar do que os termos ou informações que você está tentando aprender. Eles não funcionam para todo mundo, então se isso não funciona para você, não use.

Mnemônicos são úteis porque você usa mais do seu cérebro para lembrar imagens visuais e ativas do que apenas uma lista de itens. Usar mais do seu cérebro significa melhor memorização.

  1. Pratique sozinho ou com amigos

“Se provas antigas estiverem disponíveis, use-as como guia.”

O antigo ditado, a prática leva à perfeição, é verdade. Você pode praticar sozinho, testando seu conhecimento com simulados, provas antigas ou anotações. Se você não tem simulados disponíveis, você pode criar um para você com seus colegas. Se provas antigas estiverem disponíveis, use-as como guia – mas não estude para essas provas (muitos estudantes tratam essas provas como as provas de verdade e acabam se decepcionando quando a prova de verdade não tem as mesmas questões). Essas provas ajudam você a entender a extensão do conteúdo e os tipos de questão que você deve esperar, não exatamente o material para estudar.

Algumas pessoas gostam de revisar o material com um grupo de amigos ou colegas. Esses grupos funcionam melhor quando são pequenos (4 ou 5 colegas), com pessoas que estejam no mesmo nível de estudo e estudando para a mesma prova. Formatos diferentes funcionam para grupos diferentes. Alguns grupos gostam de estudar por tópicos, testando uns aos outros enquanto revisam o conteúdo. Outros gostam de comparar anotações e revisar o material desta forma, verificando se não deixaram passar nenhum ponto importante. Grupos de estudos assim podem ajudar muitos estudantes, mas não necessariamente todos.

  1. Faça um cronograma que você consiga seguir

“Passar de 30 a 60 minutos estudando, todo dia que você tem aula, antes ou depois da aula, é muito mais fácil e permitirá que você realmente aprenda o conteúdo.”

Muitas pessoas tratam os estudos como algo que você faz quando tem um tempo sobrando. Mas se você marcar um horário para estudar assim como tem um horário para assistir às aulas, você vai descobrir que se torna menos trabalhoso com o passar do tempo. Ao invés de tentar se entupir de estudos na última hora, você estará melhor preparado pois você não terá adiado todo o estudo para uma maratona de 12 horas na véspera. Passar de 30 a 60 minutos estudando, todo dia que você tem aula, antes ou depois da aula, é muito mais fácil e permitirá que você realmente aprenda o conteúdo.

Você deve estudar regularmente por todo o ano, para quantas matérias conseguir. Algumas pessoas estudam todo dia, outras decidem por um ou dois dias por semana. A frequência não é tão importante quanto a consistência. Mesmo que você abra o material apenas uma vez por semana para uma disciplina, é melhor do que esperar até a primeira prova para tentar absorver todo o conteúdo.

Programar-se é ainda mais importante se você for fazer parte de um grupo de estudos. Se apenas metade dos membros estiver comprometida com os estudos em cada encontro, então você precisa encontrar outros colegas que estejam tão comprometidos quanto você.

  1. Faça intervalos (e se recompense)

“Estudar por 4 horas seguidas e sem intervalo não é realista ou divertido para a maioria das pessoas.”

Já que muitas pessoas vêem estudar como uma tarefa ou incumbência, é da natureza humana evitar. Se, no entanto, você encontrar recompensas para ajudar a reforçar o que você está fazendo, talvez você se surpreenda positivamente com a mudança que você pode ver em sua atitude com o passar do tempo.

Recompensas começam dividindo-se o tempo de estudos em porções gerenciáveis. Estudar por 4 horas seguidas e sem intervalo não é realista ou divertido para a maioria das pessoas. Estudar por 1 hora, e então tirar um intervalo de 5 minutos e comer um lanche é geralmente mais sustentável e prazeroso. Divida o tempo de estudo em segmentos que façam sentido e funcionem para você. Se você precisa digerir um capítulo inteiro de certa matéria, encontre tópicos nessa matéria e se comprometa a ler e entender um tópico por vez. Talvez você complete um tópico, talvez dois. Encontre os limites que funcionem para você.

Se você atingir seu objetivo (como, por exemplo, concluir dois capítulos em uma sessão de estudos), se dê uma recompensa real. Talvez seja dizer, “vou me dar o luxo de uma boa sobremesa no jantar hoje à noite,” ou “posso fazer uma compra online,” ou “posso passar 30 minutos a mais jogando para cada duas sessões da apostila que eu ler.” A ideia é encontrar uma recompensa que seja pequena, mas real, e ter consistência com ela. Alguns podem ver isso como absurdo, já que você está impondo limites que pode ignorar facilmente. Mas ao conectar esses limites ao seu comportamento, você está se ensinando a ter disciplina, que é uma habilidade útil de se ter na vida.

  1. Mantenha-se saudável e balanceado

“Quanto mais equilíbrio você buscar na vida, mais fáceis os outros componentes na sua vida se tornam.”

É difícil manter uma vida balanceada enquanto se estuda. Mas quanto mais equilíbrio você buscar na vida, mais fáceis os outros componentes na sua vida se tornam. Se você passa todo seu tempo focando em um relacionamento ou um jogo, consegue ver a facilidade com que se perde o equilíbrio. Quando você está sem equilíbrio, as coisas em que você não está focando, como os estudos, se tornam muito mais difíceis. Não passe todo seu tempo estudando – tenha amigos, mantenha contato com sua família, e encontre interesses fora dos estudos que você possa aproveitar.

Veja vitaminas e ervas pelo que elas são: complementos para sua dieta saudável. Ervas comuns podem te ajudar a melhorar habilidades mentais, incluindo concentração, atitude, comportamento, estado de alerta e até inteligência. Mas também podem não ajudar, e você não pode contar somente com elas ao invés de estudar regularmente.

  1. Conheça as expectativas de cada aula

“Preste atenção à aula. Se o professor escrever algo no quadro ou mostrar na tela, é importante. Mas se eles falam algo, é importante também.”

Professores diferentes têm expectativas diferentes de seus alunos. Ao mesmo tempo em que anotar e prestar atenção em aula (e assistir ao máximo de aulas que puder) sejam um bom começo, você pode tirar ainda mais proveito se passar um tempo com o professor ou monitor.

Preste atenção à aula. Se o professor escrever algo no quadro ou mostrar na tela, é importante. Mas se eles falam algo, é importante também. Copiem essas informações como elas são apresentadas, mas não se desligue completamente do que o professor está falando. Alguns alunos focam no material escrito sem se preocupar com o que o professor diz. Se você anota apenas uma parte do que professor te passa (como por exemplo o que ele escreve no quadro), você provavelmente está perdendo metade da aula.

Se você se sair mal em alguma prova em particular, tente entender onde que você errou e o que você pode fazer no futuro para evitar que isso aconteça novamente.

Para conferir o texto original, em inglês, clique aqui.

Anúncios
Esse post foi publicado em Dicas de estudos, Institucional, Vida de Concurseiro e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s