4º Simuladinho Comentado RD!

Olá pessoal! Abaixo apresentamos os gabaritos comentados das questões postadas no facebook na segunda-feira (05/11/12).

Continuem acompanhando nossa fanpage no facebook, na próxima segunda-feira (12/11/12) serão publicadas 10 novas questões de concursos públicos.

Simuladinho Comentado RD 04/2012

 QUESTÕES DE ADMINISTRAÇÃO (05/11/12) – PROFESSOR SILMAR NECKEL

QUESTÃO 1. (ESAF/CVM/Agente Executivo/2010) Assinale a assertiva correta acerca da visão estratégica na organização contemporânea.

a) As organizações definem sua missão e visão no nível estratégico, não se importando com o nível operacional.

b) Após conhecer a missão e a visão definidas pela cúpula, o nível operacional escolhe junto com a alta administração os objetivos e metas, bem como o plano tático e estratégico.

c) O planejamento operacional é feito a partir do plano tático sem envolvimento dos superiores.

d) O planejamento estratégico, definido pela alta direção, é passado para os gerentes que definem o planejamento tático com as metas a serem alcançadas.

e) Objetivos inalcançáveis são definidos pela alta direção.

Resposta: alternativa D

Comentário:

Quando falamos em visão contemporânea em Administração, estamos nos reportando à uma visão moderna, atual da mesma, portanto:

 – assertiva “A”  -> errada: o nível operacional é importante sim, é onde o planejamento é colocado em prática, executado e alvo de controles prévio, simultâneo e posterior.

 – assertiva “B” -> errada: O nível operacional não escolhe os planos estratégicos e táticos. Alternativa mal escrita.

 – assertiva “C” -> errada: Pode sim haver o envolvimento de superiores no desenvolvimento do planejamento operacional.

 – assertiva “D” -> CORRETA.

 – assertiva “E” -> errada: Objetivos INalcançáveis? Piadinha na ESAF…

QUESTÃO 2. (ESAF/CVM/Analista de RH/2010) A Avaliação 360º é um método

a) que se baseia no fato de que, no comportamento humano, existem certas características extremas capazes de levar a resultados positivos (sucesso) ou negativos (fracasso).

b) que consiste na utilização de retornos que incluem diversas fontes que tentam captar o maior número de canais e direções.

c) que enfatiza o desempenho futuro, ou melhor, as potencialidades ou as características do avaliado as quais facilitarão que amanhã este assuma tarefas e atividades que lhe serão atribuídas por vários canais e direções.

d) que se baseia na comparação periódica entre os resultados fixados (ou esperados) para cada funcionário e os resultados efetivamente alcançados.

e) desenvolvido com base em entrevistas com o superior hierárquico. É amplo e permite, além de um diagnóstico do desempenho do empregado, a possibilidade           de planejar juntamente com o supervisor seu desenvolvimento.

Resposta: alternativa B

Comentário:

A Avaliação 360º é definida por Chiavenato como a “feita de modo circular por todos os elementos que mantém alguma interação com o avaliado. Participam da avaliação, o gerente, os colegas e pares, os subordinados, os clientes internos e externos, os fornecedores, enfim, todas as pessoas ao redor do avaliado, em uma abrangência de 360º”. Deste modo nós temos:

 – assertiva “A” -> errada: Ela traz a descrição do método dos incidentes críticos.

 – assertiva “B” -> CORRETA.

 – assertiva “C” -> errada: traz a descrição de avaliação de potencial.

 – assertiva “D” -> errada: traz a descrição de avaliação de resultados.

 – assertiva “E” -> errada:  traz a descrição do método de pesquisa de campo.

QUESTÃO 3. (ESAF/CGU/Analista de Finanças e Controle/2006) Indique a que critério de departamentalização se refere cada frase e escolha a opção correta.

I. Privilegia a especialização e o máximo de utilização das habilidades técnicas das pessoas.

II. Facilita o emprego de tecnologia, das máquinas e equipamentos, do conhecimento e da mão-de-obra.

III. Adapta-se as peculiaridades de cada mercado consumidor.

a) I e III – departamentalização por cliente.

b) III – departamentalização por processo.

c) I – departamentalização funcional.

d) II e III – departamentalização por produto.

e) II – departamentalização por período.

Resposta: alternativa C

Comentário:

I – Departamentalização Funcional. O critério utilizado é o agrupamento das atividades de acordo com as funções da empresa: Marketing, Recursos Humanos, Financeiro, Produção…

II – Departamentalização por Processos. Utiliza como critério o agrupamento por etapas de um processo produtivo que considera a maneira pela qual são executados os trabalhos, os processos e as tecnologias e ferramentas necessárias para a consecução de uma meta específica. Ex: Fábrica de carteiras: ferraria, marcenaria, e estofaria.

III – Departamentalização Territorial ou Geográfica. Adota a divisão conforme localização geográfica ou territorial de suas unidades de modo a considerar as divergências culturais de cada local.

Resposta a ser assinalada: assertiva “C”

QUESTÃO 4. (ESAF/ANA/Analista Administrativo/2009) Pode-se conceituar cultura organizacional como o modelo dos pressupostos básicos que um dado grupo inventou, descobriu ou desenvolveu no processo de aprendizagem, para lidar com os problemas de adaptação externa e integração interna (Shein, 1985). Assinale abaixo a opção que não apresenta um elemento relacionado à cultura organizacional de uma empresa.

a) Valores – são definições do que é importante para atingir o sucesso. As empresas definem alguns valores que resistem ao teste do tempo.

b) Ritos, rituais e cerimônias – são atividades planejadas para tornar a cultura mais visível e coesa. Seriam os processos de integração, admissão, etc.

c) Símbolos – objetos e ações ou eventos dotados de significados especiais e que permitem aos membros da organização trocarem ideias complexas e mensagens emocionais, etc.

d) Preços – valores definidos para a comercialização de produtos e que definem um segmento do mercado.

e) Processo de comunicação – tem a função de transmitir e administrar a cultura e inclui a rede de relações, papeis informais, etc.

Resposta: alternativa D

Comentário:

No enunciado temos o conceito frequentemente cobrado pelas bancas para cultura organizacional. Neste caso a questão pediu a definição dos elementos da cultura. Todas as assertivas apresentam a definição do elemento corretamente. Porém como elemento relacionado à Cultura organizacional, que é o que a questão pede, nós não temos o “Preço”. Todos os demais fazem parte sim da cultura organizacional.

Resposta a ser assinalada: assertiva “D”

QUESTÃO 5. (ESAF/SUSEP/Analista Técnico/2010) Com base nos seguintes dados sobre o consumo de um material qualquer, assinale a opção que indica, corretamente, o ponto de pedido (P) e a quantidade (Q) a ser adquirida em cada pedido:

– consumo mensal: 50 unidades.

– tempo de reposição: 1,5 mês.

– estoque mínimo: 2,0 meses de consumo.

a) P = 175 // Q = 75

b) P = 100 // Q = 50

c) P = 150 // Q = 75

d) P = 175 // Q = 50

e) P = 150 // Q = 50

Resposta: alternativa A

Comentário: 

Necessariamente precisamos lembrar dos conceitos pedidos:

 – Consumo mensal: ou Demanda (D).

 – Ponto de Pedido (P): nível de estoque que dá início ao processo de compras. Ele é calculado com base na demanda (D) ou consumo, tempo de reposição (Tr) e estoque mínimo (Em) através da seguinte equação: P = Em + (D x Tr)

 – Estoque Mínimo: ou Estoque de Segurança, é o mínimo de estoque que deve ser mantido para cobrir eventuais alterações ocorridas no sistema (aumento da demanda ou atraso na entrega) depois do pedido de compra ter sido realizado. Seu valor normalmente é fornecido nas questões, ou então, pede-se para calcular em função de outra variável apresentada como nesta questão: Em = 2 x D

 – Tempo de Reposição: Tempo que se passa entre o Ponto de Pedido (P) e a efetiva entrega. Deve ser na mesma unidade de medida que o consumo. Neste caso já está OK, ambos estão medidos em meses.

além destes, nós temos a “quantidade (Q) a ser adquirida em cada período” como o LEC (Lote Econômico de Compra).

Com os dados fornecidos, vamos aos cálculos:

– D = 50 und.

– Tr = 1,5 m.

– Em = : 2,0 D.

Em = 2 x D

Em – 2 x 50

Em = 100 und.

P = Em + (D x Tr)

P = 100 + (50 x 1,5)

P = 100 + 75

P = 175 und.

Agora para o cálculo da quantidade, nós temos o LEC, porém, além de sua fórmula ser bastante complexa, não temos todos os elemento para o seu cálculo (custo de pedido e custo de armazenagem). Desta forma podemos afirmar com toda a certeza que a intenção do examinados eram bem menos exigente. Podemos deduzir que sendo o Ponto de Pedido (P) igual a 175 unidades e o Estoque Mínimo (Em) igual a 100 unidades, não podemos adquirir uma quantidade (Q) inferior a 75 unidades, sob pena de comprometer o Em. Dando uma olhada nas assertivas, nós temos a “A” e a “D” que trazem o P=175 e apenas uma dessas não tem o Q <75.

Com isso nossa resposta será a assertiva “A”

QUESTÕES DE PORTUGUÊS (05/11/12) – PROFESSORA MERCEDES BONORINO

QUESTÃO 1. (CESPE/TER-AP/Técnico Judiciário/2005) Em cada opção a seguir, é apresentada uma adaptação de um trecho de texto. Assinale a opção em que o trecho adaptado está gramaticalmente correto.

A) Será que nos processos de cassação votar em aberto poderiam mudar o destino dos acusados?

B) O voto em aberto não mudaria o resultado final; mas, sim, a responsabilidade individual.

C) Com referência a votação aberta, o eleitor é responsável pelo seu voto; votando sim, ou não, ele admite à responsabilidade pelo voto dado.

D) Votos fechados, em se tratando de processos de cassação, acarreta responsabilidade difusa, pois ninguém sabe quem votou em quem. Assim todo o eleitorado carregam o ônus do resultado da votação.

E) A adoção para o voto fechado é muito ruim, assim como a própria instituição, porque sai perdendo.

Resposta: alternativa B

Comentário:

a) ERRADA. Concordância verbal indevida. O verbo deve ficar no singular para concordar com o sujeito da oração: “votar em aberto”. Veja correção:

Será que nos processos de cassação votar em aberto poderia mudar o destino dos acusados?

b) CERTA! Veja como a pontuação está bem feita:

“… final; mas, sim, a responsabilidade individual.”

Ponto-e-vírgula: bem empregado para separar orações coordenadas de valor opositivo.

Adjunto adverbial deslocado: “…, sim, …” correto empregos das vírgulas para isolar adjunto adverbial de afirmação.

c) ERRADA. Problemas de crase. Veja correção:

Com referência à votação aberta, o eleitor é responsável pelo seu voto; votando sim, ou não, ele admite a responsabilidade pelo voto dado.

Pontuação correta:

Ponto-e-vírgula: bem empregado para separar orações coordenadas longas ou com outras pontuações.

Vírgulas opcionais para separar a expressão “ou não”.

d) ERRADA. Concordâncias verbais indevidas. Os verbos devem ficar no plural para concordarem com os sujeitos das orações: “votos fechados” e “todo eleitorado”. Além disso, há a necessidade da vírgula após o conectivo “assim”. Para terminar, está errada a colocação do artigo após “todo”. Veja correção:

Votos fechados, em se tratando de processos de cassação, acarretam responsabilidade difusa, pois ninguém sabe quem votou em quem. Assim, todo eleitorado carrega o ônus do resultado da votação.

Observação:

Todo o carro será lavado. (o carro inteiro)

Todo carro deve ser emplacado.

(os carros em geral (todos))

Para finalizar: péssimo português!

e) ERRADA. Problema de regência: “adoção ao voto fechado”. Mas o problema maior deste item diz respeito à organização das idéias:

A má construção da frase confere obscuridade ao significado: “…, assim como a própria instituição (a instituição é ruim também?) …”

“… porque sai perdendo.” Quem sai perdendo? A instituição? Sai perdendo em relação a quê?

Conclusão: falta de coesão, uso indevido de gerúndio e falta de paralelismo.

Para finalizar: um desastre!

QUESTÃO 2. (ESAF) Todos os itens abaixo apresentam o pronome relativo com função de objeto direto, exceto:

a) “Aurélia não se deixava inebriar pelo culto que lhe rendiam.”

b) “Está fadigada de ontem? perguntou a viúva com a expressão de afetada ternura que exigia o seu cargo.”

c) “… com a riqueza que lhe deixou seu avô, sozinha no mundo, por força que havia de ser enganada.”

d) “… O Lemos não estava de todo restabelecido do atordoamento que sofrera.”

e) “Não o entendiam assim aquelas três criaturas, que se desviviam pelo ente querido.”

Resposta: alternativa E

Comentário:

a) Neste caso pronome relativo exerce a função de objeto direto, pois se refere ao substantivo “culto”, que teria a função sintática de objeto direto na oração subordinada: “(…) que lhe rendiam” (na ordem em que aparecem: OD(que) + OI(lhe) + verbo transitivo direto e indireto(rendiam)). Observação: o sujeito desta oração é indeterminado (verbo na 3ª pessoa do plural sem antecedente expresso).

Paráfrase: “(?) rendiam um culto a ela (Aurélia)”

(Suj. Indeterminado + VTDI + OD + OI)

b) Neste caso o pronome relativo exerce a função de objeto direto, pois refere-se ao substantivo “ternura”, que teria a função sintática de objeto direto na oração subordinada: “(…) que exigia o seu cargo”. Na ordem em que aparecem:

OD(que) + verbo transitivo direto(exigia) + sujeito(seu cargo)

Reescrevendo, ficaria assim: “O seu cargo exigia o quê? Ternura.”

c) Neste caso o pronome relativo exerce a função de objeto direto, pois refere-se ao substantivo “riqueza”, que teria a função sintática de objeto direto na oração subordinada: “(…)que lhe deixou seu avô”. Na ordem em que aparecem:

OD (que) + OI(lhe) + verbo transitivo direto e indireto(deixou) + sujeito(seu avô)

d) Neste caso o pronome relativo exerce a função de objeto direto, pois refere-se ao substantivo “atordoamento”, que teria a função sintática de objeto direto na oração subordinada: “(…) sofrera”. Na ordem em que aparecem:

(que) + verbo transitivo direto (sofrera) + sujeito oculto (Lemos)

e) É o único caso em que o pronome relativo não exerce função de objeto direto
Neste caso o pronome relativo exerce a função de sujeito, pois se refere ao substantivo “criaturas”, que teria a função sintática de sujeito na oração subordinada: “(…) que se desviviam pelo ente querido”. Na ordem em que aparecem:

sujeito(que)+ SE(reflexivo) + (desviver)verbo transitivo direto.

Observações sobre o verbo DESVIVER:

Segundo o Dicionário Caldas-Aulete:

DESVIVER: v. intrp || erder a força vital, a energia; viver mal, vegetar; ir morrendo aos poucos: Aqui desvivo, vegeto. (Martins Fontes, Rosicler , p. 51, ed. 1927.) F. Des…+viver.

Segundo o Dicionário Houaiss:

VTD: Desvivo o passado

Ou

V. Intransitivo: As rosas desviviam.

QUESTÃO 3. (TJ-SC/AnalistaAdm/2010) Assinale a proposição que contém o único período totalmente correto em termos de pontuação:

a) O desenvolvimento do aparelho vem ao encontro de uma tendência mundial, caracterizada pela busca de recursos ágeis, e baratos para enfrentar, doenças disseminadas nas regiões mais pobres do mundo.

b) Batizado de CellScope – ou “celularscópio”, em tradução livre –, o aparelho foi criado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e está descrito na última edição da revista online.

c) Outro fator, que engrossa a turma da paquera madura online é o envelhecimento, da população brasileira.

d) Há quem diga, que o jogo existe também em outros países.

e)O Supremo Tribunal Federal (STF), julga o refúgio ilegal, e só uma rara mudança de voto poderá impedir a extradição do italiano.

Resposta: alternativa B

Comentário:

a) Não pode haver vírgula entre VTD e OD (“…enfrentar doenças…”).
b) Sobre o texto na alternativa (b), correta, podemos observar:
1 – Caso o candidato tenha achado estranho a vírgula logo após o travessão, saiba que ela está correta. Ocorrem neste trecho duas situações diferentes:
a) a primeira diz respeito à vírgula, que isola o elemento deslocado “Batizado de CellScope (…),”. b) a segunda diz respeito ao duplo travessão, que isola o aposto que explica o termo anterior: “(…) de CellScope – ou celularscópio (…) –
As duas situações ficaram sobrepostas.
2 – Caso o candidato tenha achado estranha a vírgula antes da conjunção “e”, verifique que ela está correta nesta posição por conta do adjunto adverbial deslocado: “…, nos Estados Unidos, …”
c) A alternativa © está BEM errada!

Não pode haver vírgula entre núcleo substantivo e o adjunto adnominal: “envelhecimento, da população”

Na (c) duas versões corretas seriam possíveis, mas com significados diferentes:
1 – ”Outro fator que engrossa a turma da paquera madura online é o envelhecimento da população brasileira.” Sem vírgula para separar a oração adjetiva, com sentido restritivo. 2 – ”Outro fator, que engrossa a turma da paquera madura online, é o envelhecimento da população brasileira.” Com vírgula para separar a oração adjetiva, com sentido explicativo.
d) Não pode haver vírgula entre oração principal e oração subordinada substantiva.
e) Na (e) as duas vírgulas estão erradas. A primeira por separar sujeito do predicado; e a segunda por separar verbo de seu complemento imediato.

QUESTÃO 4. (FUNRIO/ADM/2009) Na composição de um texto, alguns elementos lingüísticos expressam circunstâncias diversas, com a finalidade de imprimir coerência àescrita. O fragmento que apresenta corretamente um desses elementos e a circunstância que ele expressa é

a) “… quando não reprime diretamente” – modo.

b) “…na medida em que bancou as mentiras que o Estado” – modo.

c) “Por outro lado, nos seminários sobre liberdade de imprensa no Brasil” – tempo.

d) ” Reportagem é, antes de mais nada, uma profunda investigação de um fato. – tempo.

e) “Enquanto a mídia americana continuar na mesma toada” – modo.

Resposta: alternativa D

Comentário:

É uma questão de COESÃO: primeiramente, o candidato deve descobrir qual o elemento de coesão de cada alternativa e se a circunstância colocada em seguida está de acordo com a expressão de coesão. Propositalmente, tais elementos coesivos não estão sublinhados, pois a banca quer saber do candidato se ele sabe distinguir quais são. Assim, vejamos em cada alternativa qual é esse elemento e qual circunstância ele reflete.
a) “… quando não reprime diretamente” – modo. ERRADA. O elemento de coesão é “quando” que exprime TEMPO.
b) “…na medida em que bancou as mentiras que o Estado” – modo. ERRADA. O elemento de coesão é “na medida em que” que exprime CAUSA
CUIDADO! Não confunda:

À medida que = proporcionalidade

Na medida em que = causa

c) Por outro lado, nos seminários sobre liberdade de imprensa no Brasil” – tempo. ERRADA. O elemento de coesão é “por outro lado” e exprime OPOSIÇÃO.
d) ” Reportagem é, antes de mais nada, uma profunda investigação de um fato. – tempo. CERTA. O elemento de coesão é “antes de mais nada” e exprime TEMPO. Entretanto, cabe ressaltar que este caso, a noção de tempo é retórica. E significa “em primeiro lugar”, “primeiramente”, “em princípio”.
e) Enquanto a mídia americana continuar na mesma toada” – modo. ERRADA. O elemento de coesão é “enquanto” e exprime TEMPO.

QUESTÃO 5. (FCC/TRE-AM/Analista Judiciário/2011) A alternativa que apresenta frase correta é:

(A) − Senhor Ministro, peço sua licença para advertir que Vossa Excelência se equivocais no julgamento dessa lei tão polêmica.

(B) Seus companheiros, até os recém-contratados, não lhe atribuem nenhum deslize e creem que esse é mais um injusto empecilho entre tantos com que ele já se defrontou.

(C) Se eles não satisfazerem todas as exigências, não se têm como contratá-los sem enveredar pelo caminho da irregularidade.

(D) O traumático episódio gerou grande ansiedade, excitação desmedida que lhe fez xingar e investir contra a pessoa mais cumpridora com seus deveres.

(E) Caso ele venha a se opor, será uma compulsão a que ninguém deve compartilhar, sob perigo de todos os envolvidos se virem em situação de risco na empresa.

Resposta: alternativa B

Comentário:

a) Pronomes de Tratamento equivalem a pronomes de 3ª pessoa. Assim, o verbo e demais pronomes devem concordar na 3ª pessoa. Na alternativa (A) o pronome possessivo SUA está bem empregado. Além disso, o uso de Vossa Excelência (e não Sua Excelência) também está adequado já que ocorre um diálogo com a autoridade. Lembrando:

O uso do vocativo “Senhor Ministro,” também está de acordo com o que prevê o Manual de Redação da Presidência da República:

O único erro ocorreu na conjugação do verbo “equivocar” que está conjugado na 2ª pessoa do plural (VÓS) de forma errada. O correto seria a 3ª pessoa do singular como mostra a versão corrigida abaixo:

Senhor Ministro, peço sua licença para advertir que Vossa Excelência se equivoca no julgamento dessa lei tão polêmica.

− Senhor Ministro, peço sua licença para advertir que Vossa Excelência se equivocais no julgamento dessa lei tão polêmica.

b) CERTA!
c) ERRADA. Conjugação do verbo SATISFAZER. Concordância do verbo TER.

Se eles não satisfizerem todas as exigências, não se tem como contratá-los sem enveredar pelo caminho da irregularidade.

d) ERRADA. Uso dos pronomes oblíquos.

O traumático episódio gerou grande ansiedade, excitação desmedida que o fez xingar e investir contra a pessoa mais cumpridora com seus deveres.

e) ERRADA. Regência com pronome relativo: quem compartilha, compartilha COM alguém. Veja correção:

Caso ele venha a se opor, será uma compulsão com que/com a qual ninguém deve compartilhar, sob perigo de todos os envolvidos se virem em situação de risco na empresa.

Anúncios
Esse post foi publicado em Institucional. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s