2º Simuladinho Comentado RD!

Olá pessoal! Divulgamos abaixo os gabaritos comentados das questões postadas no facebook nesta segunda-feira (22/10/12).

Continuem acompanhando nossa fanpage no facebook, na próxima segunda-feira (29/10/12) postaremos mais 10 novas questões.

Simuladinho Comentado RD 02/2012

QUESTÕES DE MATEMÁTICA (22/10/12) – PROFESSOR ANDRÉ DOMINGUES

Assista ao vídeo com o comentário das 5 questões abaixo:

Vídeo Questões Comentadas Matemática

QUESTÃO 1. (FCC/Técnico Ministerial/Área Administrativa/MPE-PE/2012) Existem três caixas idênticas e separadas umas das outras. Dentro de cada uma dessas caixas existem duas caixas menores, e dentro de cada uma dessas caixas menores outras seis caixas menores ainda. Separando-se todas essas caixas, tem-se um total de caixas igual a:

(A) 108.

(B) 45.

(C) 39.

(D) 36.

(E) 72

QUESTÃO 2. (FCC/Técnico Ministerial/Área Administrativa/MPE-PE/2012) Eu sou homem. O filho de Cláudio é pai do meu filho. Nesse caso, o que sou de Cláudio?

(A) Pai.

(B) Avô.

(C) Neto.

(D) Filho.

(E) Bisavô.

QUESTÃO 3. (FCC/Técnico Judiciário/Área Administrativa/TRF 2ª região/2012) Considere que os termos da sucessão seguinte foram obtidos segundo determinado padrão.

(20, 21, 19, 22, 18, 23, 17, …)

Se, de acordo com o padrão estabelecido, X e Y são o décimo e o décimo terceiro termos dessa sucessão, então a razão Y/X é igual a:

(A) 44%.

(B) 48%.

(C) 56%.

(D) 58%.

(E) 64%.

QUESTÃO 4. (FCC/Técnico Judiciário/Área Administrativa/TRF 2ª região/2012) Um capital de R$ 25 000,00, aplicado a juros simples e à taxa anual de 12%, ao final de um período de 15 meses produzirá o montante de:

(A) R$ 37 000,00.

(B) R$ 37 250,00.

(C) R$ 32 500,00.

(D) R$ 28 750,00.

(E) R$ 25 250,00.

QUESTÃO 5. (FCC/Técnico Judiciário/Área Administrativa/TRT 4ª região/2006) O preço de um aparelho eletrodoméstico é P reais. Como eu só possuo X reais, que correspondem a 70% de P, mesmo que me fosse concedido um abatimento de 12% no preço, ainda faltariam R$ 54,00 para que eu pudesse comprar esse aparelho. Nessas condições, a quantia que possuo é:

(A) R$ 254,00

(B) R$ 242,00

(C) R$ 237,00

(D) R$ 220,00

(E) R$ 210,00

QUESTÕES DE PORTUGUÊS (22/10/12) – PROFESSORA MERCEDES BONORINO

QUESTÃO 1. (FEPESE-CELESC/Advogado/2011) Assinale a alternativa gramaticalmente correta.

A) As palavras linguagem e clareza são formadas por derivação prefixal.

B) Nas palavras experiências e hierárquicos há tritongos orais.

C) A palavra máquinas é acentuada graficamente por ser proparoxítona em a(s).

D) Nas palavras profissionais e trabalhadores há encontros consonantais e dígrafos.

E) As palavras qualificação, preparação e formação são acentuadas graficamente por serem oxítonas.

Resposta: alternativa (D)

a) Linguagem [derivação sufixal: RAD(língua) + SUFIXO ((a)gem)
Clareza [ derivação sufixal: RAD(clar) + SUFIXO(eza)
b) Ex-pe-ri-ên-cias  OU Ex-pe-ri-ên-ci-as 

Seja qual for a opção de separação silábica, verifica-se que em nenhum caso há tritongo (SV + V + SV).

Encontramos nesta palavra: hiato (i-e) e hiato ou ditongo crescente na sílaba final (ci-as/ cias).

Cabe ressaltar que a gramática permite que em palavras com encontros vocálicos no final de palavra – como no exemplo em questão – permitem-se duas possibilidades de separação silábica e, por consequência, possibilita interpretar este encontro como hiato ou ditongo final. A maioria dos gramáticos brasileiros, entretanto, prefere a primeira versão (não separada – como ditongo – e a explicação do acento seria por ser uma paroxítona terminada em ditongo)Hi-e-rár-qui-cos

Verifica-se que em nenhum caso há tritongo (SV + V + SV). Há hiato (i-e) e um dígrafo (QU).c)Máquinas – todas as proparoxítonas levam acento, independente de como terminam. Assim, a explicação não procede.d)profissionais – Encontro Consonantal: PR

Dígrafo: SS [ /s/Trabalhadores – Encontro Consonantal: TR

Dígrafo: LH [ /λ /e)qualificação, preparação e formação

As três palavras são oxítona terminada em ditongo. Não levam acento de tonicidade. O til indica apenas a nasalização a vogal. Não confundir o acento de tonicidade com o acento indicativo de nasalização. O exemplo abaixo mostra claramente que cada acento tem uma função:

ímã, órgão

tonicidade  (x)  nasalização

QUESTÃO 2. (FCC/TRE-AM/Analista Judiciário/2011) A alternativa que apresenta frase correta é:

(A) − Senhor Ministro, peço sua licença para advertir que Vossa Excelência se equivocais no julgamento dessa lei tão polêmica.

(B) Seus companheiros, até os recém-contratados, não lhe atribuem nenhum deslize e creem que esse é mais um injusto empecilho entre tantos com que ele já se defrontou.

(C) Se eles não satisfazerem todas as exigências, não se têm como contratá-los sem enveredar pelo caminho da irregularidade.

(D) O traumático episódio gerou grande ansiedade, excitação desmedida que lhe fez xingar e investir contra a pessoa mais cumpridora com seus deveres.

(E) Caso ele venha a se opor, será uma compulsão a que ninguém deve compartilhar, sob perigo de todos os envolvidos se virem em situação de risco na empresa.

Resposta: alternativa (B)

(A) Pronomes de Tratamento equivalem a pronomes de 3ª pessoa. Assim, o verbo e demais pronomes devem concordar na 3ª pessoa.

Na alternativa (a) o pronome possessivo SUA está bem empregado. Além disso, o uso de Vossa Excelência (e não Sua Excelência) também está adequado já que ocorre um diálogo com a autoridade. Lembrando:

O uso do vocativo “Senhor Ministro,” também está de acordo com o que prevê o Manual de Redação da Presidência da República:

O único erro ocorreu na conjugação do verbo “equivocar” que está conjugado na 2ª pessoa do plural (VÓS) de forma errada. O correto seria a 3ª pessoa do singular como mostra a versão corrigida abaixo:

Senhor Ministro, peço sua licença para advertir que Vossa Excelência se equivocou no julgamento dessa lei tão polêmica.(B)CORRETA. Vamos analisar os pontos que podem deixar dúvidas:

1) “recém-contratados” – correto. Mesmo após a Reforma Ortográfica, mantém-se o hífen com prefixos tônicos acentuados como RECÉM. Também permanece o hífen em prefixos terminados em M ou N.

2) “… não lhe atribuem nenhum deslize” – correto. Veja que o LHE representa o Objeto Indireto da oração

3) “empecilho” – palavrinha que sempre aparece nos concursos. Observe a correta ortografia.

4) “… entre tantos com que/com os quais ele já se defrontou.” – correto. Note o correto uso do pronome relativo e da regência (quem se defronta, defronta-se com…)C)Essa “doeu” no ouvido!!

Questão de conjugação verbal e concordância.

1) Conjugação verbal: Os verbos FAZER/SATISFAZER conjugam-se da mesma forma.

Futuro do Subjuntivo: Se eles não fizerem o exercício…

Corrigindo:

Se eles não satisfizerem todas as exigências, …

 

2) Concordância:

“…não se têm como contratá-los sem enveredar pelo caminho da irregularidade.”

 

A questão é: por que o verbo TER está no plural? Qual é o sujeito?

Veja que o SE é partícula apassivadora e o complemento do verbo é uma oração subordinada substantiva subjetiva:

Não se tem ISSO (como contratá-los sem enveredar pelo caminho da irregularidade)

Veja que na teoria das orações subordinadas substantivas subjetivas há um comentário sobre os principais casos deste tipo de subordinada (com valor de sujeito). Um dos casos é exatamente quando ocorrem verbos transitivos diretos com partícula SE. Exemplos: “Dizia-se que…”, “Sabe-se que…”. Neste caso o verbo fica na 3ª pessoa do singular. Portanto, o correto seria:

“…não se tem como contratá-los sem enveredar pelo caminho da irregularidade.”D)O traumático episódio gerou grande ansiedade, excitação desmedida que lhe fez xingar e investir contra a pessoa mais cumpridora com seus deveres.

Problemas:

1) Verbo “xingar” é Transitivo Direto, logo pede proome oblíquo –o/a . Assim: …que o fez xingar

2) Falta de paralelismo entre os verbos. Há a presença da conjunção E entre os verbos “xingar” e “investir”. Este conectivo estabelece PARALELISMO entre as partes. Assim, é necessário que haja harmonia entre esses verbos (leia-se: verbos de mesma regência). Como o primeiro verbo é VTD, assim também deveria ser o verbo “investir”. Entretanto, o último verbo é Transitivo Indireto e pede a preposição CONTRA(corretamente usada).E)Caso ele venha a se opor, será uma compulsão a que ninguém deve compartilhar, sob perigo de todos os envolvidos se virem em situação de risco na empresa.

A despeito do caráter prolixo do texto, o único erro de fato ocorre na regência com pronome relativo: “quem compartilha, compartilha com/de …”. Assim, não se usa a preposição A com esse verbo. O correto ficaria:

Caso ele venha a se opor, será uma compulsão com que (com a qual) ninguém deve compartilhar, sob perigo de todos os envolvidos se virem em situação de risco na empresa.

QUESTÃO 3. (UFSC/Assistente de Administração/2011) Considerando a norma padrão, assinale a alternativa na qual o termo sublinhado foi CORRETAMENTE substituído pelo pronome em destaque.

A) Os cigarros não me dão prazer algum. Por que fumar-lhes?

B) Quando o velho moqueou o peixe, eu o pedi um pedaço.

C) Outro dia vi uma linda mulher e tive uma grande vontade de conhecê-la melhor.

D) A água fresca da talha era boa. Eu lhe tomava com prazer.

E) Ao comprar uma gravata, tive um ataque de pudor quando lhe pendurei no pescoço.

Resposta: alternativa (C)

A) Verbo FUMAR – VTD

Correção:

Os cigarros não me dão prazer algum. Por que fumá-los?B)Verbo PEDIR – VTDI

Correção:

Quando o velho moqueou o peixe, eu LHE pedi um pedaço.

C) CERTA !  Verbo CONHECER – VTDD)Verbo TOMAR – VTD

Correção:

A água fresca da talha era boa. Eu a tomava com prazer.E)Verbo PENDURAR – VTD

Correção:

Ao comprar uma gravata, tive um ataque de pudor quando a pendurei no pescoço.

QUESTÃO 4. (AOCP/ DESENBAHIA/ Analista de Desenvolvimento/ Analista de Sistemas/ 2009) Em relação ao emprego dos tempos e modos verbais, analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta a(s) correta(s).

I. “Tarso deixou a porta aberta para rever o caso se surgirem provas…”. (presente do indicativo)

II. “Tudo isso somado contribuiu para que se concluísse que a concessão…”. (imperfeito do subjuntivo)

III. “Se o ministro estiver certo, terá ajudado a reparar…”. (presente do indicativo)

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas I e III.

e) Apenas II e III.

Resposta: alternativa (B)

Questão confusa inicialmente para vocês, uma vez que não estão sublinhados os verbos em questão e há mais de um verbo por item. Vejam quais eram os verbos sublinhados e veja a resposta:
I.  “Tarso deixou a porta aberta para rever o caso se surgirem provas…”. (presente do indicativo)

1) SURGIREM – futuro do subjuntivo

Este item está errado, já que o verbo sublinhado não está no presente do indicativo.II.CORRETA !!

“Tudo isso somado contribuiu para que se concluísse que a concessão…”. (imperfeito do subjuntivo)

1) CONCLUÍSSE – pretérito imperfeito do subjuntivo

Este item está certo, já que o verbo sublinhado está no presente do indicativo.III. “Se o ministro estiver certo, terá ajudado a reparar…”. (presente do indicativo)

1) ESTIVER – futuro do subjuntivo

Este item está errado, já que não há nenhum verbo que esteja no presente do indicativo.

QUESTÃO 5. (CESGRANRIO) A oração sublinhada está corretamente classificada, EXCETO em:

a) Casimiro Lopes pergunta se me falta alguma coisa / oração subordinada adverbial condicional

b) Agora eu lhe mostro com quantos paus se faz uma canoa / oração subordinada substantiva objetiva direta

c) Tudo quanto possuímos vem desses cem mil réis / oração subordinada adjetiva restritiva

d) Via-se muito que D. Glória era alcoviteira / oração subordinada substantiva subjetiva

e) A idéia é tão santa que não está mal no santuário / oração subordinada adverbial consecutiva

Resposta: alternativa (A)

a) Casimiro Lopes pergunta

VTDse

 

→me falta alguma coisa.

OD (o quê?)Oração principalconjunção integranteoração subordinada substantiva objetiva diretab)Na alternativa (b), a análise está correta, apesar de ocorrer uma preposição (“com”) iniciando oração. Veja:Agora eu lhe mostro

VTD       →[com quantos paus se faz (…)].

OD (o quê?)Veja que a preposição “com” não é exigência do verbo “mostrar” – que define a oração subordinada seguinte -, mas sim do “verbo “fazer (com)”.

Portanto, neste caso nota-se a ausência de conjunção integrante propriamente dita.

Tal situação advém do fato de a oração subordinada na verdade ser uma máxima (frase feita). Veja:

Agora eu lhe mostro ISSO.

[com quantos paus se faz uma canoa] = expressão popularc)Tudoquanto possuímosvem desses cem mil réisOração principalsubordinada adjetiva restritivaOração principal

QUANTO: pronome relativo utilizado após pronomes indefinidos como TUDO.
Todo pronome relativo inicia uma oração subordinada adjetiva.
A ausência de vírgulas mostra que a oração restringe o sentido da oração principal.
d) Via-se muito que D. Glória era alcoviteira.
Oração principal conjunção integrante Oração subordinada subjetiva
Tem-se partícula apassivadora. Veja que na teoria das orações subordinadas substantivas há um comentário sobre os principais casos deste tipo de subordinada (com valor de sujeito). Um dos casos é exatamente quando ocorrem verbos transitivos diretos com partícula SE. Exemplos: “Dizia-se que…”, “Sabe-se que…”. Assim como no período da alternativa (d).
e) A idéia é tão santa que não está mal no santuário
Oração principal Conjunção adverbial consecutiva oração subordinada adverbial consecutiva
Anúncios
Esse post foi publicado em Institucional. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s